RenomeandoVolume

Differences between revisions 2 and 3
Revision 2 as of 2007-05-15 20:06:02
Size: 3174
Comment:
Revision 3 as of 2007-05-15 20:08:33
Size: 3174
Comment:
Deletions are marked like this. Additions are marked like this.
Line 2: Line 2:
Se costumamos usar um HD externo, pen drive, mp3 player ou qualquer outro volume de armazenamento que é auto-montado pelo [:gnome-volume-manager] veremos que, quando plugado, ele irá aparecer automaticamente no Desktop com o seu nome de volume. Se for uma partição visível no Windows (FAT, NTFS etc.) perceberá que o nome que aparece é o mesmo nome do volume que pode ser visto e renomeado no próprio Windows bastando clicar sobre o nome do volume e depois pressionar F2. Esse nome é relativamente importante porque é esse nome que o "gnome-volume-manager" usa para montar também em /media. Por exemplo: se um volume se chama "UbuntuFAT" ele será montado por padrão em /media/UbuntuFAT. Esse nome é importante para que possamos identificar facilmente os volumes e para podermos manter a consistência de ligações ([:ln]). Quando o nome do volume é "vazio" o "gnome-volume-manager" assume por padrão os nomes: "disk", "disk-1", "disk-2" e assim por diante. Deixar o nome vazio não é recomendado, pois quando usamos um HD externo, por exemplo, gostaríamos que ele ficasse numa posição fixa (e.g.: /media/HD-externo) ao invés de ficar em algum nome "padrão" que poderá ser "disk", "disk-1" etc. Se costumamos usar um HD externo, pen drive, mp3 player ou qualquer outro volume de armazenamento que é auto-montado pelo [:gnome-volume-manager] veremos que, quando plugado, ele irá aparecer automaticamente no Desktop com o seu nome de volume. Se for uma partição visível no Windows (FAT, NTFS etc.) perceberá que o nome que aparece é o mesmo nome do volume que pode ser visto e renomeado no próprio Windows bastando clicar sobre o nome do volume e depois pressionar F2. Esse nome é relativamente importante porque é esse nome que o "gnome-volume-manager" usa para montar também em /media. Por exemplo: se um volume se chama "UbuntuFAT" ele será montado por padrão em /media/UbuntuFAT. Esse nome é importante para que possamos identificar facilmente os volumes e para podermos manter a consistência de ligações ([:ln]). Quando o nome do volume é "vazio" o "gnome-volume-manager" assume por padrão os nomes: "disk", "disk-1", "disk-2" e assim por diante. Deixar o nome vazio não é recomendado, pois quando usamos um HD externo, por exemplo, gostaríamos que ele ficasse numa posição fixa (e.g.: /media/HD-externo) ao invés de ficar em algum nome "padrão" que poderia ser "disk", "disk-1" etc.

Renomeando um volume

Se costumamos usar um HD externo, pen drive, mp3 player ou qualquer outro volume de armazenamento que é auto-montado pelo [:gnome-volume-manager] veremos que, quando plugado, ele irá aparecer automaticamente no Desktop com o seu nome de volume. Se for uma partição visível no Windows (FAT, NTFS etc.) perceberá que o nome que aparece é o mesmo nome do volume que pode ser visto e renomeado no próprio Windows bastando clicar sobre o nome do volume e depois pressionar F2. Esse nome é relativamente importante porque é esse nome que o "gnome-volume-manager" usa para montar também em /media. Por exemplo: se um volume se chama "UbuntuFAT" ele será montado por padrão em /media/UbuntuFAT. Esse nome é importante para que possamos identificar facilmente os volumes e para podermos manter a consistência de ligações ([:ln]). Quando o nome do volume é "vazio" o "gnome-volume-manager" assume por padrão os nomes: "disk", "disk-1", "disk-2" e assim por diante. Deixar o nome vazio não é recomendado, pois quando usamos um HD externo, por exemplo, gostaríamos que ele ficasse numa posição fixa (e.g.: /media/HD-externo) ao invés de ficar em algum nome "padrão" que poderia ser "disk", "disk-1" etc.

Infelizmente o Ubuntu (ainda) não dá suporte transparente à essa renomeação, ou seja: se clicamos sobre o nome do volume e apertamos F2, ou se tentamos mudar através de "propriedades" veremos que o nome não é alterável, ele fica cinza. Uma "solução desesperada" seria entrar no Windows e renomear o volume por ali mesmo. Mas essa "solução desesperada" tem dois grandes problemas: 1. Nem todo mundo tem o Windows em outra partição. 2. Se a partição do volume for algum tipo que o Windows não consegue acessar (e.g. ext2, ext3 etc.) será impossível renomear no Windows. É claro que existe uma solução bem mais elegante e que funciona para todos os casos, e que pode ser feita diretamente no Linux, mas o terminal terá que ser usado. Veja o capítulo abaixo "Usando e2label".

Nota de versão (15/mai/2007): caso você já consiga renomear o volume sem ter que entrar no terminal, por favor atualize esta documentação, porque provavelmente significa que essa funcionalidade já foi implementada.

Usando e2label

Dica retirada de: http://focalinux.cipsga.org.br/guia/intermediario/ch-disc.htm e adaptada para a realidade Ubuntu.

Abra o terminal e tente o seguinte:

sudo e2label dispositivo nome

Trocando:

dispositivo

  • Pelo caminho da partição que terá o nome modificado. Para descobrir exatamente onde está o dispositivo do volume tente identificá-lo usando esta dica: [http://focalinux.cipsga.org.br/guia/intermediario/ch-disc.htm#s-disc-id]. Se não conseguiu identificá-lo ainda, tente entrar em: Sistema -> Administração -> Editor de partições do Gnome. Ali é possível escolher o dispositivo e visualizar as partições. Tente identificá-la pelo tamanho, espaço livre etc.

nome

  • Nome que será dado a partição (máximo de 16 caracteres). Caso seja usado um nome de volume com espaços, ele deverá ser colocado entre aspas.

RenomeandoVolume (last edited 2011-09-19 23:19:03 by localhost)